15/05/2017

Abismo


Eu era uma Lidia, um ser qualquer na face desta Terra.  Até que um dia, eu conversei com o meu vazio:

- Por que você habita em mim? Eu perguntei.
- Você não percebe que eu preciso de amor? Respondeu ele seriamente.
- Amor? O que é isso? Eu perguntei curiosa
- O amor que eu preciso está em alguém.
O vazio então  me deu algumas coordenadas, mas não me alertou do perigo e consequências que isso poderia me causar. Fiz então o que ele clamara para eu poder me sentir bem. O meu erro foi ter obedecido o vazio e ter amado. Ele não me avisou que nem sempre da certo. 
- Por que razão não me avisou que isso dói tanto?
- Não deu sorte querida, continue tentando.
Assim fiz depois de colher e colar os cacos.
- Por que dói outra vez?
- Não desista 
Não desisti. De certo modo viciei em me apaixonar, porém, vi que não era bom.
-Meu caro vazio, é melhor que tu fiques só. Está sendo egoísta com o coração, o coitado já não aguenta mais quebrar, sofrer, chorar. Está em péssimo estado, feio e  cada vez mais entristecido. 
- Minha menina, confia em mim, precisa fazer algo por mim, por nós. 
- Já não posso, me perdoe.
O vazio então entristeceu-se mais. E eu me lancei nos seus mais profundos abismos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário